sábado, 3 de julho de 2010

CORONEL DEMÉTRIO DO REGO LEMOS


Natural de Martins, nascido a 20 de outubro de 1867 e faleceu no Rio de Janeiro de 1945. Filho de Giraldo de Souza Lemos e Severina Leite do Rego. Estudou primeiras letras nas escolas públicas de Martins e Pau dos Ferros, fazendo estudos particulares de português, aritmética, francesas e latim com os doutores Bianor Fernandes, Moreira Dias e Almino Afonso. Matriculou-se em março de 1891 na Escola Militar de Fortaleza, graças à intervenção do Dr. Almino Afonso, seu amigo e protetor. Dotado de bastante inteligência e grande força de vontade, fez rápidos progressos. O Governo do Marechal Floriano Peixoto, em 1893, forçou-o a abandonar os estudos, pois todos os alunos daquele estabelecimento de ensino militar tiveram que seguir para o campo de luta, de ordem do governo, para defender a legalidade.

Fez toda a campanha ao lado das forcas legais e terminada a luta foi comissionado no posto de Alferes, sendo a patente confirmada pelo Presidente da república, por ato de 13 de dezembro de 1894. Terminada a guerra civil, que tantos prejuízos causaram à nação. Demétrio continuou os seus estudos e a 8 de outubro de 1908 foi promovido por merecimento a primeiro tenente. O presidente Venceslau Braz, também por merecimento, promoveu-o ao posto de Capitão, a 24 de maio de 1914. Foi reformado compuslsiamente com honras de Major, a 27 de abril de 1921, pelo então presidente Epitácio Pessoa. Não se conformando com a reforma, propôs ação contra a União e conseguiu voltar à atividade. Em junho de 1927 foi promovido a Major, por antiguidade, sendo um mês depois promovido ainda por antiguidade ao posto de Tenente coronel. Pouco tempo depois foi reformado, a pedido, no posto de coronel. Durante 30 anos serviu ao Exército com disciplina, patriotismo e lealdade, lutando sempre pelo respeito a Constituição e às leis. Acatando as autoridades constituídas, pela manutenção da ordem pública e pela integridade da Pátria. Além do tempo que freqüentou a Escola Militar de Fortaleza, exerceu suas atividades militares no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Mato Grosso, deixando em todos esses lugares exemplos edificantes de militar brioso, correto e disciplinado.

Demétrio tinha extremado amor à terra natal. É UM TRAÇO DOMINANTE DE SUA VIDA. Inúmeros foram os benefícios prestados por ele a Martins. Construiu às suas expensas a rodovia 13 de Maio, na parte oriental da serra; erigiu numa das praças da cidade, um busto em bronze ao Dr. Almino Afonso; fez doação de numerosos livros à bibliotecas do Grupo Escolar, além de mobiliário e utensílios de ensino pedagógico, quadros, bandeiras para formaturas e muitos outros objetos de valor.O nome do ilustre martinense jamais será olvidado pelas gerações futuras que sempre encontrarão na sua personalidade o exemplo dignificante do caráter, da dedicação e do patrimônio. O Governo do Estado, como homenagem à sua memória, designou o seu nome para patrono do Grupo Escolar da então Vila de Boa Esperança, atual cidade de Antônio Martins